Missa pro Defuncto

Muitas pessoas já ouviram várias peças sacras em museus, teatros, igrejas, como o Stabat Mater, O Messias, as Cantatas de Bach, etc etc etc. E certamente é de conhecimento de muitos as Missas de tantos e tantos compositores.

Eu mesmo fui membro de um coro de música barroca, já cantei muitas destas peças e algumas missas. Por exemplo, a Missa de Schubert, ou a de Mozart. Cantávamos na Catedral Basílica de Salvador.

Engraçado que nos domingos de Páscoa cantávamos a Missa de Mozart ou Schubert para acompanhar a Missa que o cardeal celebrava. Como essas composições foram feitas sob medida para a Missa Tradicional (em latim, de rito gregoriano), então tentar encaixá-las no rito maçônico-protestante da Missa Nova era como tentar calçar o pé direito no sapato esquerdo.

As partes cantadas eram o Introito, o Kyrie, O Gloria, O Sanctus, O Agnus Dei e o Benedictus. Ora, haviam partes como o Benedictus, por exemplo, que simplesmente não têm correspondente na Missa Nova. Aliás mesmo as partes que se adaptavam, por exemplo, quando o arcebispo dizia “irmãos, reconheçamos os nossos pecados” e então se cantava o Kyrie, ainda assim ficava algo sofrível.

Fato é que a maioria dos coristas simplesmente não associava o encaixe perfeito do que cantavam com a liturgia, porque o que o arcebispo rezava, as abomináveis e desajeitadas cerimônias que ele e seus ajudantes faziam NÃO COMBINAVAM com o que cantávamos.

Até mesmo para mim era deste jeito. Hoje em dia quase não canto mais, evito a todo custo a Missa Nova. Mas encontrei um vídeo precioso, e devo compartilhar com vocês, abaixo.

Já cantei inúmeras vezes o Requiem de Mozart. NUNCA EM UMA MISSA. Sempre em apresentações, mas apenas o Requiem.

O Requiem de Mozart é uma Missa dedicada aos fiéis defuntos. Se é uma missa, deveria naturalmente ser cantado em uma… Missa. Não parece lógico? Pois é. Só que em 99, 9999999% não é assim. Procurem no Youtube quantas missas tem esta composição como acompanhamento? Somente encontrei UMA. Que por sinal irei compartilhar agora.

Então, ao ver o vídeo vocês poderão enxergar como a Liturgia Católica já existia, e como Wolfgang Amadeus Mozart, usando o texto da Igreja, o musicou e nos deixou esta preciosidade.

É lindo ver o vídeo abaixo. Ver uma Missa numa igreja barroca da Polônia, com o clero subindo ao altar com paramentos barrocos, romanos, negros (como tem que ser, ao invés do roxo que inventaram na igreja conciliar), e como a composição de Mozart encaixa exatamente nas partes da Missa. Porque esta composição FOI FEITA PARA ESTA MISSA.

A perseguição da Missa Tradicional, além de todas as mazelas, deveria ser crime também contra a cultura. Paulo VI merecia uma multa pelo crime que cometeu em desterrar uma missa que não tem apenas valor sobrenatural inquestionável, mas é em si um tesouro do mundo ocidental.

Que Missas como a do vídeo abaixo se multipliquem ad infinitum.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s