Deus deseja o retorno da Missa Tridentina

Copiei este post de um amigo, e de outros blogs que encontrei. Vale a pena  passar esta informação adiante, para a edificação dos leitores.

4379918998_a07cac174c

O Padre Abrahamowicz *, um sacerdote da Fraternidade São Pio X do distrito da Itália, viajou para Carpegna para averiguar os acontecimentos fenomenológicos que ocorriam no povoado, fundamentando-se nos relatos das testemunhas dos eventos. A data inicial do ocorrido coincidiu com o dia da inauguração da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, que pretendia salvaguardar a tradição da Missa Tridentina, e teve lugar no dia 1º de novembro de 1970. Carpegna, aldeia da Itália , tornou-se conhecida quando a imprensa internacional publicou a noticia que desde este dia, os sinos da Igreja começaram a badalar sem interferência humana.

O relatório do Padre informa a cronologia dos acontecimentos: Certa manhã, quando o pároco destrancou a porta e entrou na Igreja São Nicolas, encontrou o altar-mor misteriosamente preparado para a celebração da missa tradicional. O altar estava pronto para a celebração da Santa Missa Tridentina! O cálice com o seu véu, a patena, o purificatório, a pala, a bolsa, os paramentos tradicionais do sacerdote, a casula, o amicto e o manípulo, todos dispostos de forma ordenada, e o missal tradicional estava aberto para iniciar a Santa Missa.

O pároco, admirado, queria saber qual dos franciscanos do convento anexo, que tinham aderido ao rito moderno, teria entrado na Igreja e preparado o altar. Ninguém tinha preparado o altar, nem sequer entrou na Igreja tão cedo, foi a resposta…! No dia seguinte foi a mesma surpresa, que se repetiu durante quatro dias, e cada vez com um cálice diferente. Outro dia o altar encontrava-se preparado para uma missa em respeito aos falecidos, com véu e paramentos pretos, não roxos como se faz na nova liturgia.

p1010140 (1)

Depois de investigar, o pároco descobriu que todos os ítens que serviam para preparar o altar eram obtidos de um velho armário, já há muito tempo fechado a chave. Mas, e a chave? Ninguém a tinha, e nem sequer lembrava aonde estava. O caso estava preocupante e consternador, pois a Igreja pronta para a Missa Tridentina e o badalar dos sinos, alertou e atraiu a população da aldeia. Mas este ocorrido era só o início das preocupações dos frades franciscanos.

Os sinos badalaram novamente no silêncio da noite de Natal, mas desta vez mais alto e sem parar! No fim do ano um acontecimento perturbou os frades. No Altar, encontraram pela manhã, um papel escrito a mão, de grafia primorosa, com o seguinte texto em latim: NOLITE OBDURARE CORDA VESTRA. “Não endureçais os vossos corações“.

Palavras estas, pertencentes ao salmo recitado pelos monges todo dia no breviário, e que dita: “Quem dera ouvísseis hoje a sua voz. Não endureçais os vossos corações, porque Me tentaram e provocaram, apesar de terem visto as Minhas obras. Durante quarenta anos desgostou-Me aquela geração. Eu disse: É um povo de coração desviado, que não conhece os Meus caminhos. Por isso, não haverão de entrar no lugar do Meu repouso“.

O Salmo, evocado pelo misterioso e forte aviso, se relaciona ao fato de Deus condenar esta crise atual na Igreja, e que perdurará quarenta anos. Os monges conheciam este salmo, o qual rezavam na oração das matinas. Permanecia a indagação.

Porque Deus intervém nesta aldeia com este aviso tão forte? Era dirigido a estes monges? Será porque se mostraram muito zelosos na aplicação da revolução litúrgica, ou por estarem vendendo a venerável Imagem medieval da Virgem Maria das Dores, que protegeu a aldeia do cólera e que era venerada como a padroeira da região?

Era por terem acabado com a prática pública do Rosário, acabando com as missas pelos defuntos e dizendo falsamente que não era mais essencial rezar pelos mortos? Os monges tentaram, em vão, esconder os acontecimentos.

download

Carpegna conviveu com o seu singular evento, que certos jornais interpretaram como “fenômenos dos espíritos”. Os sinos agora tocam em cada festa, e também quando alguém morre, ouve-se de muito longe. Mas isso não é tudo. O superior geral em Roma e o superior provincial, foram chamados em Carpegna, porque recentemente uma coisa perturbadora aconteceu! No Altar, estava um papel com estas palavras escritas em latim: IN DIE JUDICII, “No dia do julgamento“, e foi encontrado um cálice manchado de sangue. A causa foi silenciada e os frades foram proibidos de falar.

O relatório do fenômeno de Carpegna concluiu que, desde o dia 1º de novembro de 1970, um singular e extraordinário fenômeno acústico, quase diário, transmite o som dos sinos da torre da Igreja São Nicolas, administrada pelos frades que vivem no Convento de São Francisco, junto a Igreja, e se propaga a diferentes distâncias. Os sinos, sem intervenção humana, produzem o som por si próprios! A polícia italiana atuou no caso, tentando desvendar este mistério, mas sem sucesso. Eles não descobriram absolutamente nada, tal como os frades franciscanos, anteriormente.

missa-tridentina (3)

O que é um enigma para todos, é o fato de que o som dos sinos é audível num raio de muitos quilômetros da Igreja, mas nos arredores da torre não se deixa ouvir. O som parece emanar dos sinos, mas a sua causa real continua invisível!

 * O padre Florian Abrahamowicz foi expulso da FSSPX em 2010, e ficou conhecido por respaldar D. Williamson a respeito das câmaras de gás que os nazistas utilizaram nos momentos do confinamento dos judeus na segunda guerra.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Deus deseja o retorno da Missa Tridentina

  1. Pe. Paulo A. de Araújo disse:

    Prezado sr. Bruno.
    Aprecio muito os seus comentários e esclarecimentos no “Frates”.
    Agora estou sabendo deste seu blog. Vou segui-lo e indica-lo a outrem.
    Que Deus e N. Senhora o abençoe.

  2. Pe. Paulo A. de Araújo disse:

    Que Deus e Nossa Senhora o abençoem e façam grande a sua colheita
    pois a sua semeadura é do puro grão.
    Aonde, exatamente se encontra a pequena cidade em questão?

  3. Obrigado, padre.
    Qual cidade o senhor se refere? Se for onde vivi na adolescência, Nazaré – BA, onde vivo atualmente: Valença – BA.
    Ambas próximas a Salvador.
    Caso seja a cidade do ocorrido acima, é a comuna de Carpegna, na região das Marcas.

    • Pe. Paulo A. de Araújo disse:

      Na verdade, refiria-me à cidade do ocorrido. Contudo, é bom saber onde o sr. mora.
      Estive aí perto, no ano passado,para um congresso. Creio não ser difícil que nos
      conheçamos pessoalmente, O sr. tem algum e-mail pessoal que possa fornecer-me?
      Quando for à Itália, em breve, visitarei o local.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s