O ofício da agonia

Como proceder diante de um moribundo que aproxima-se da morte, na falta de sacerdote?

(do livro O pequeno Missionário, dos Missionários da Congregação da Missão, editora Vozes, Petrópolis, 8ª edição, 1958)

V

Paz a esta casa e a todos os que habitam nela“.

Depois, lança-se água benta sobre o enfermo e as pessoas presentes, dizendo: “Aspergir-me-eis, Senhor, com o vosso hissope e ficarei puro; lavar-me-ei, Senhor, e serei mais alvo que a neve. Tende piedade de mim, ó Deus, segundo vossa grande misericórdia.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Mostrai-nos a vossa misericórdia e dai-nos vossa salvação. Ouvi, Senhor, a nossa oração e chegue até vós o nosso clamor“.

Depois dá-se a beijar ao enfermo a imagem de Jesus Crucificado e colocando-a em seguida diante dele, procura-se com palavras eficazes inspirar-lhe a esperança da sua eterna salvação.

Oração: “Meu Deus, Deus de misericórdia, eu vos peço perdão de ter ofendido vossa infinita bondade. Fui um filho ingrato, mas vós sois o mehor dos pais e por isso tenho confiança que me perdoeis. Não dissestes, não quero a morte do pecador, mas que se converta e viva eternamente no céu? Não morrestes na cruz para expiar meus pecados e me merecer a graça de uma boa morte? Por minha vez eu quero morrer para expiar os meus pecados, quero morrer para possuir e amar-vos eternamente.

Perdoai, Senhor, como eu perdoo por amor vosso aos que me têm ofendido. Jesus, tende piedade de mim! Coração de Jesus, tenho confiança em vós, sede minha salvação! Coração imaculado de Maria, sede meu refúgio! São José, padroeiro da boa morte, todos os santos e anjos do céu, meu querido Anjo da Guarda, benditas almas do purgatório, assisti-me, protegei-me. Sangue do Coração de Jesus, lava-me, purifica-me, salva-me”.

Com voz clara e compassada reza-se o ato de contrição: “Senhor meu Jesus Cristo, etc…

Logo que começa a agonia, põe-se nas mãos do moribundo a vela benta. Essa vela que se benze na festa da Purificação de Nossa Senhora, a 2 de Fevereiro e que toda família cristã conserva com respeito para acendê-la na hora da morte, é um símbolo do Cristo ressuscitado que nos dá a luz da vida eterna.

Infelizmente, é lamentável, em muitas casas de família que se diz cristã, não se encontram nem crucifixo, nem vela, nem água bentas. Triste sinal de falta de religião.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s