A Eucaristia como Sacrifício

Missa em rito gregoriano-tridentino (romano)

2.ª A Eucaristia como Sacrifício.

Sacrifício é a oblação de uma cousa externa e sensível feita a Deus por legítimo ministro, com destruição ou mudança da cousa oferecida, para reconhecermos o supremo domínio de Deus, e rendermos a devida homenagem à sua soberana majestade.

A Deus só, se podem oferecer sacrifícios. Estes remontam desde os primeiros tempos do mundo. Os sacrifícios da Antiga Lei eram figuras daquele grande e verdadeiro sacrifício que Jesus Cristo ofereceu, morrendo por nosso amor na cruz. Na Lei Nova, a Missa é o Sacrifício perene, que representa o da Cruz e nos aplica Seus merecimentos.

A Santa Missa é o Sacrifício do Corpo e do Sangue de N. S. Jesus Cristo, oferecido sobre nossos altares debaixo das espécies do pão e do vinho, em memória do Sacrifício da cruz. Tanto na cruz, como na Missa, Jesus Cristo é o sacerdote e a vítima; Sacerdote que oferece, Vítima que é oferecida. Por isso, a Missa em sua essência, é o mesmo sacrifício da Cruz. A diferença está só no modo de se oferecer e no fim pelo qual se oferece.

No modo. Na cruz Jesus Cristo ofereceu-se de um modo cruento, isto é, com derramamento de sangue. Na Missa Jesus Cristo se oferece de um modo incruento, isto é, sem derramamento de sangue. Contudo, este derramamento de sangue está misticamente representado; pois, em virtude das palavras da consagração, a Hóstia transubstancia-se no Corpo e o vinho no Sangue de Jesus Cristo.

Santa Missa segundo o Antigo rito (ou uso) de Sarum, rito medieval do sul da Inglaterra.

No fim. Jesus Cristo, no Sacrifício da cruz satisfez por todos os pecados dos homens e nos mereceu as graças de nos podermos salvar. Estes merecimentos e satisfação, Jesus Cristo nô-los aplica pelos meios que Ele instituiu e entregou à Sua Igreja, sendo o principal deles, o Santo Sacrifício da Missa.

O primeiro e principal oferente da Missa é o próprio Jesus Cristo; o sacerdote é o ministro que oferece o sacrifício ao Eterno Pai em nome de Jesus Cristo. Isto, porém, não impede que Ele seja sempre o principal oferente. Assim como, quem dá esmola por meio de outrem, compreende-se facilmente que aquele é o que faz a esmola e não a pessoa de quem se serviu como instrumento da esmola.

Missa em rito copta

Jesus Cristo instituiu a Santa Missa na última Ceia, quando consagrou o pão e o vinho, e mandou a seus apóstolos a fazerem o mesmo em memória dEle.

Sendo a Santa Missa sacrifício, so se pode oferecer a Deus.

Celebra-se a Santa Missa em honra da SS. Virgem e dos Santos para agradecer a Deus as graças com que os favoreceu, e alcançar mais facilmente por sua intercessão as graças de que precisamos.

Missa segundo o rito hispano-moçárabe (que remonta ao século IV, nas regiões do antigo reino visigodo de Toledo)

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s