Condições para ganhar as indulgências

1º Estar em graça de Deus.

2º Cumprir as prescrições para ganha-las.

3º Ter intenções de ganha-las.

Basta a intenção geral de ganhar todas as que um pode ganhar; mas é bom renovar a intenção todos os dias.

Para que se perdoe a pena temporal é necessário ter-se já obtido o perdão da culpa a que esta pena corresponde.

Por isso, além de estar em graça de Deus, convém arrepender-se das culpas veniais.

Para ganhar uma indulgência plenária é necessário terem sido perdoados todos os pecados veniais;  se não é possível obter a indulgência plenária, pode-se contudo ganhar indulgências parciais segundo a disposição que se tem.

Se na concessão não for declarado o contrário, a indulgência plenária, por uma mesma obra, só se pode lucrar uma vez por dia, ainda quando se repita a obra prescrita.

A indulgência parcial pode-se ganhar todas as vezes que se repetir a obra à qual está anexa.

Todas as indulgências concedidas pelo Papa são aplicáveis às almas do purgatório.

Aquele que tiver feito o “Ato Heróico” tem o privilégio de poder aplicar todas as indulgências em sufrágio das santas almas do purgatório.

Não se pode aplicar a indulgência a pessoas vivas.

Si na concessão da indulgência não for declarado o contrário, não se pode ganhar indulgência, fazendo aquilo a que se está já obrigado por lei ou preceito.

Não obstante, quando para cumprir a penitência sacramental faze-se uma obra indulgenciada, pode-se ao mesmo tempo cumprir a penitência e ganhar as indulgências.

Quando para ganhar a indulgência é necessária a oração segundo a intenção do Sumo Pontífice, não basta só a oração mental, mas é necessária a vocal; e não havendo oração determinada, fica ao arbítrio dos fiéis a escolha da oração.

As obras pias marcadas para a aquisição das indulgências podem ser comutadas pelo confessor, quando houver um legítimo impedimento de as praticar.

As indulgências anexadas aos rosários e demais objetos cessam somente quando tais objetos indulgenciados ficam inutilizados, ou se vendem.

Peregrinação da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX) a Roma, por ocasião do Jubileu do Ano 2000

Jubileu – é uma Indulgência Plenária à qual estão anexos muitos privilégios e concessões particulares, como a possibilidade de receber a absorvição de certos pecados reservados e de censuras e também a comutação de alguns votos.

Ordinariamente o jubileu se concede cada 25 anos.

João Paulo II, de Cruz Papal na mão, abre a Porta Santa, iniciando o Jubileu do Ano 2000.
 

 PS: PARA RECORDAR: Postagem de título “Os Sufrágios”, publicada neste blog no dia 12/11/2010

 

ATO HERÓICO PELAS ALMAS DO PURGATÓRIO

Ato heróico, consiste em ceder para sempre em favor das santas almas do purgatório toda a parte satisfatória de nossas boas obras e todos os sufrágios, que outros fizerem por nós.

Sejamos, pois, devotíssimos das almas do purgatório.

Procuremos socorrê-las, ouvindo Missa e comungando amiúde, e até diariamente, si nos for possível; rezemos o Santo Rosário, façamos a Via Sacra, etc.

Essa é uma devoção muita boa e prática, com a qual livraremos do purgatório muitas almas, que gloriosas entrarão no céu, abençoando a nossa caridade.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s