Satisfação ou Penitência

Satisfação ou penitência é a oração ou outras boas obras que o confessor impõe ao penitente em expiação de seus pecados.

A penitência sacramental deve-se cumprir no tempo fixado pelo confessor.

Si o confessor não determinar o tempo, é conveniente cumpri-la quanto antes para não haver perigo de esquecimento.

Não é necessário cumprir a penitência antes da Comunhão e nem no mesmo dia da Confissão.

Quem se confessa deve ter a vontade de cumprir a penitência que lhe é imposta.

Si o penitente não souber ou não puder cumprir a penitência que lhe é imposta, deve manifestar ao confessor para que lhe dê outra.

Com a Confissão bem feita perdoam-se sempre as culpas graves e a pena eterna; nem sempre, porém, fica perdoada toda pena temporal.

Deus ao perdoar o pecado mortal, comuta ordinariamente a pena eterna em uma pena temporal.

Esta pena temporal deve ser descontada nesta vida ou no purgatório.

Nesta vida se desconta fazendo boas obras, especialmente cumprindo a penitência imposta pelo confessor.

A penitência deve ser proporcionada aos pecados.

A grandes pecados corresponde grande penitência, a pecados leves corresponde pequena penitência.

Algumas vezes, contudo, o confessor, por justos motivos, por grandes pecados impõe penitência pequena.

A penitência que dá o confessor, ordinariamente não basta para satisfazer toda pena devida ao pecado, embora já perdoada; pelo que, deve-se procurar satisfazê-la com outras penitências voluntárias.

Mesmo depois de termo-nos confessado bem e cumprido a penitência, não devemos deixar de fazer muitas boas obras para satisfazer a Deus, pelos pecados cometidos.

Si disso não nos lembrarmos, corremos risco de ficar muito tempo no purgatório.

Quanto mais perfeita for a contrição menor será a pena temporal.

Sendo a penitência proporcionada aos pecados, perdoa toda pena temporal; si não for proporcionada, perdoa-la-á só em parte.

Por este motivo, os cristãos fervorosos, desejam que o confessor lhes imponha muita penitência, com tanto que a possam cumprir.

Um grande meio de satisfazer pelos próprios pecados e livrar as bemditas almas do purgatório, é ser muito diligente em ganhar indulgências.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s