Falsa vergonha de confessar os pecados

Quem, por falsa vergonha ou por outro motivo culpável, cala algum pecado grave, profana o Sacramento e comete um horrível sacrilégio.

Para fazer uma boa confissão, deverá manifestar quantas vezes se confessou mal, os pecados que calou, e ainda todos os pecados que acusou nas confissões mal feitas.

Tendo se confessado mal, nenhum pecado ficou perdoado; por este motivo, deve confessar de novo todos os pecados que confessou nas confissões mal feitas.

Aquele que se sentisse tentado a calar algum pecado grave na confissão, deve considerar:

1º Que não teve vergonha de pecar deante de Deus, que tudo vê;

2º Que é melhor descobrir os próprios pecados ao confessor em segredo, que viver sem tranquilidade no pecado, ter uma morte desastrada e ser por esse mesmo pecado, desmascarado no dia do juízo universal deante de todo mundo;

3º Que o confessor está obrigado ao sigilo sacramental sob pena de gravíssimo pecado e com ameaça de severíssimas penas temporais e eternas.

O confessor não despreza, ao contrário, estima muito mais aquele que confessa os próprios pecados.

1º Porque o penitente declarando os pecados ao confessor, demonstra que deposita nele a maior confiança;

2º Porque o confessor vê no penitente, não um pecador, mas uma alma santificada pela penitência

Quando houvesse perigo de calar os pecados, procure-se um confessor desconhecido, para se livrar de qualquer temor.

A vergonha que faz calar os pecados é má.

Mas, é cousa muito boa confessar os pecados com grande vergonha e confusão de tê-lo cometido.

Precisamente esta vergonha faz com que a confissão seja um grande preservativo contra toda sorte de pecado.

A obrigação de manifestar claramente ao confessor qualquer pecado grave cometido, seja de pensamento, palavra, obra ou omissão, é um freio poderoso para abster-se do pecado.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Falsa vergonha de confessar os pecados

  1. Lucas90 disse:

    Achei o texto bacana e viável, mas, seria possivel publicar quem é o autor?? valeu e citações das fontes usadas para redigi-lo.
    valeu

    • Prezado Lucas: a bibliografia deste tópico em particular é: Instrução religiosa: o cristianismo – seus dogmas, suas orações, seus mandamentos e sacramentos. 2ª Edição Brasileira, Livraria Salesiana Editora, largo Coração de Jesus – São Paulo, 1949.

      É toda informação que tenho a respeito.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s