Confissão

Depois do exame, dor e propósito, faz-se a confissão.

A confissão é a acusação dos próprios pecados feita ao confessor para se obter a absolvição.

A confissão deve ser humilde, inteira, sincera, prudente e breve.Humilde, isto é, deve fazer-se com verdadeira humildade interior e exterior, estando de joelhos, si não houver algum impedimento razoável.

Inteira – deve-se manifestar todos os pecados mortais.

Sincera – declarando-se os pecados tais quais são; sem desculpas, nem aumentá-os ou diminuí-los.

Prudente – isto é, usando os termos mais modestos e sem descobrir pecados alheios.

Breve – não dizendo ao confessor cousas inúteis.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s