Quando devem os pais procurar batizar os próprios filhos

As crianças devem ser levadas o mais cedo possível à Igreja afim de serem batizadas.

O Concílio Plenário Brasileiro manda que não se demore mais de dez dias depois do nascimento.

O costume de demorar mais é um abuso que deve ser eliminado.

Nem mesmo por não se acharem presentes os padrinhos se deve diferir o Batismo; pois neste caso, pode-se fazer com que sejam representados.

Uma creança recem-nascida está muito exposta ao perigo de morte e, morrendo sem Batismo, não vai para o céu.

Todo bom cristão deve desejar que também seus filhos sejam filhos de Deus e herdeiros do céu o mais depressa possível; e não o são, enquanto não receberem o Batismo.

Pecam os pais que não procuram que seus filhos sejam batizados no tempo devido.

Demorar em fazê-lo é sinal de ignorância ou de indiferença religiosa.

Um adulto para poder ser batizado deve conhecer os principais mistérios e mandamentos da nossa Santa Religião.

Se estiver em pecado mortal, é -lhe necessário fazer um ato de contrição, ao menos imperfeita.

Se o adulto receber o Batismo sem nenhuma contrição, recebe só o caráter de cristão, mas não a graça santificante.

O Batismo é absolutamente necessário para a salvação.

Não havendo possibilidade de se receber o Batismo de água, pode-se suprí-lo pelo de desejo ou pelo de sangue.

O Batismo de desejo é um ato de perfeito amor de Deus com o desejo (ao menos implícito) de receber o Batismo.

O Batismo de sangue consiste em derramar o próprio sangue pela fé cristã.

Morrer por causa da fé cristã chama-se martírio, e garante o céu para qualquer pessoa que morrer por amor de Deus e de sua Igreja, seja ela batizada ou não. Martírio de São Sebastião, cujo sepulcro tem sido venerado pelos fiéis desde a mais remota antiguidade cristã.

Aquele que recebe o Batismo está obrigado a professar sempre a fé e a observar a lei de Jesus Cristo e de sua Igreja.

Quem receber o santo Batismo, renuncia para sempre ao demônio, às suas obras e às suas pompas.

Por obras e pompas do demônio entendem-se os pecados e as máximas do mundo contrárias ao santo Evangelho.

Impõe-se o nome de um santo à pessoa que se batiza, para que este, lhe sirva de protetor e de exemplo na vida cristã.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s