PARTE II – Que é o inferno?

Todo o inferno está nesta palavra de Jesus Cristo: “Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno“.

1º O inferno é a separação, a perda de Deus. “Afasta-te de mim, pecador“. É assim que Deus repele para longe de si a alma pecadora. É a perda de Deus, a perda da suma beleza, da suma bondade, do sumo bem. Enquanto nossa alma estiver presa no cárcere da carne, não poderá nunca compreender a imensidade desta desgraça que, na frase dos santos, constitui o inferno dos infernos.

2º O inferno é a maldição de Deus. Afasta-te, pecador maldito. A maldição eficaz de um Deus todo-poderoso. Se é terrível a maldição de um pai, de uma mãe, que será a maldição de Deus? Pecador maldito, maldito no corpo, maldito na alma. Olhos, língua, mãos, pés, inteligência, coração, vontade, tudo é maldito, porque tudo serviu de instrumento ao pecado.

Dante e Virgílio no lago Cócito, que segundo a obra de Dante Alighieri, seria o lugar mais profundo do inferno, estuário onde chegam as águas, a lama e o sangue dos demais rios infernais, e de superfície congelada. A gravura acima é de um trecho do lago chamado Caína, inspirado em Caim, reservado aos traidores dos próprios familiares. Gravura de Gustave Doré (século XIX).

3º O inferno é o fogo. Afasta-te de mim, pecador maldito, para o fogo. Quando os profetas falam do inferno, logo se lhes apresenta à imaginação o mar, o mar sem limites e sem fundo, e os condenados nadando e mergulhando neste abismo de fogo. O fogo os envolve, penetra-os, circula em suas veias, insinua-se até à medula dos ossos.

O barqueiro Flégias transportando Dante e Virgílio através do rio estige, onde chafurdam as almas dos soberbos, dos que foram condenados pela ira, e dos invejosos. Gravura de Gustave Doré (século XIX) para ilustrar a obra "A Divina Comédia" de Dante Alighieri

4º O inferno é a eternidade. Afasta-te, pecador maldito, para o fogo eterno. A eternidade… quem pode compreendê-la! É um tempo que não acaba. Mil anos, milhões de anos, mil milhões de anos. Contai as gotas de água do oceano, os grãos de areia das praias, as folhas das árvores… a eternidade tem mais anos, mais séculos. Sempre! Nunca! Sempre queimar, sempre sofrer! Nunca o menor alívio, a menor esperança.

Se os condenados que estão no inferno pudessem voltar à terra, que fariam? Procurariam outra vez a ocasião do pecado, as danças, os espetáculos, as tavernas, as casas de perdição? Não! Correriam para a igreja, ao pé do altar do Santíssimo Sacramento, de Nossa Senhora, ao pé do confessor principalmente, para alcançar o perdão de seus pecados. O que os condenados não podem mais, vós o podeis. Não estais no inferno, mas talvez estejais no caminho do inferno. Quanto antes, voltai para trás; talvez amanhã seja tarde.

O mais profundo setor do rio Cócito: a Judeca, cujo nome se deve a Judas Iscariotes. Aqui, as almas quedam completamente submersas, “como palhinhas no vidro": umas na vertical, outras jacentes na horizontal, de cabeça para cima ou para baixo, outras dobradas. Judeca é o depósito das almas dos traidores de seus benfeitores, na presença do próprio Lúcifer: é seu bater de asas que produz um vento glacial, que congela as águas do Cócito. Lúcifer está preso ao gelo da metade do peito para cima, e tem uma cabeça de três rostos – cada qual com seu par de asas –: a da frente vermelha, uma amarelada à direita e a da esquerda negra. Pelos seis olhos ele chora, dali escorrendo lágrimas que se juntam a uma baba de sangue. Cada boca morde um infeliz perpetuamente: a central mastiga, e esfola, Judas; a esquerda masca Brutus. Cassius está sendo devorado pela boca destra. Gravura de Gustave Doré (século XIX)

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s