QUARTO MANDAMENTO

O quarto mandamento é: Jejuar e abster-se de carne quando manda a Santa Madre Igreja.

fundamento deste preceito. – O preceito do jejum e da abstinência tem o seu fundamento no Evangelho. Promulgou-o, a Igreja, no intuito de aplicar a grande lei da penitência, imposta por Nosso Senhor nestes termos: “Se não fizerdes penitência, haveis de todos perecer“. Em boa hora, advertiu a Igreja, que muitíssimos católicos olvidariam e descurariam esta obrigação capital. Logo, julgou conveniente relembrar o preceito divino, e para que fosse mais explícita, a prática da penitência, fixou o jejum e a abstinência, porque os primeiros cristãos já tinham noção destas formas de mortificação. Não eram inovações. Os judeus, com efeito, costumavam jejuar, ora depois de alguma calamidade, para expiar culpas, ora com o fito de alcançar benefícios, ou evitar castigos.

O jejum e a abstinência assentam ainda na nossa natureza. É fato averiguado que estas privações impostas pela Igreja favorecem, em vez de prejudicar, a saúde, preconizando hábitos de temperança. Os médicos, neste particular, são concordes.

Fim da abstinência e do jejum. – A Igreja ordena as abstinências e os jejuns para satisfazer a Deus por nossos pecados e mitigar as nossas más inclinações.

O jejum e a oração são duas cousas muito agradáveis a Deus e muito recomendadas nas Sagradas Escrituras.

O jejum serve para dispôrmo-nos melhor à oração, para fazer penitência dos pecados cometidos, para preservar-nos de cometer outros novos.

A Quaresma foi instituída para imitar de algum modo o rigoroso jejum de quarenta dias, que Jesus Cristo fez no deserto, e para preparar-nos, por meio da penitência, a celebrar santamente a Páscoa.

O Jejum das quatro Têmporas foi instituído:

1º Para consagrar pela penitência as quatro estações do ano.

2º Para pedir a Deus a conservação dos frutos da terra e dar-lhe graças pelos frutos já colhidos.

3º Para rogar a Deus que conceda à sua Igreja bons ministros, cuja ordenação se faz ordinariamente nos sábados das quatro Têmporas.

O jejum das vígilias foi instituído para preparar-nos a celebrar santamente as festas principais.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s