Restituição

Quem roubou ou causou dano ao próximo nos seus bens, quanto possível, deve restituir e ressarcir os prejuizos causados.

A restituição deve ser feita ao dono ou a seus herdeiros; se isto não for possível, deve-se fazer a restituição, distribuindo o que foi roubado aos pobres ou a um instituto de caridade; para isto é bom consultar o confessor.

Quando a restituição é de cousa de pouco valor, e para fazê-la ao dono, embora se conheça, acarreteria algum inconveniente, pode-se fazer entregando a cousa aos pobres ou a um instituto de beneficiência.

A restituição pode e quase sempre se deve fazer secretamente, valendo-se, se necessário for, de outra pessoa de confiança.

Quem encontra um objeto de algum valor, deve fazer a devida investigação para encontrar o dono, afim de lho entregar; não encontrando-o pode ficar com o objeto.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s