Que pecado é o furto?

O furto será pecado grave ou leve conforme o valor da causa furtada e o dano que se tenha causado.

É pecado grave, quando se rouba alguma cousa de importância ou se prejudica gravemente ao próximo.

Pode-se prejudicar gravemente ao próximo, mesmo tirando-lhe cousas de pouco valor. É matéria relativamente grave roubando a alguém o salário ordinário de um dia.

Os filhos que vivem em família, quando furtam a seus pais, para que o seu furto chegue a pecado mortal, se requer o duplo da quantidade, que comumente, nos outros furtos, constitue matéria grave.

Quando o furto atinge a uma quantia avultada é sempre pecado mortal, ainda que o roubo seja feito ao Estado ou a pessoas muito ricas.

Santo Afonso de Ligório fixava dita quantia até 15 francos; porém, naqueles tempos a moeda tinha um valor muito superior à de agora.

Os pequenos furtos são pecado grave:

1º Quando se tem a intenção de roubar uma quantia avultada.

2º Mesmo sem esta intenção, si no prazo de dois meses, a soma dos pequenos furtos perfizer uma quantia relativamente avultada, o furto pequeno que chega a completá-la, é pecado grave.

3º Quando há comum acordo entre várias pessoas que se juntam para roubar ou prejudicar o próximo nalguma cousa de importância.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Que pecado é o furto?

  1. Márcio Rodrigo disse:

    Mas e se, não de propósito, mas com a possibilidade de pagar, contrair dívidas e não pagá-las? Isso também não configura furto?

    • A Igreja define a Justiça como dar a cada um o que lhe é devido; se alguém inicialmente não pretendia passar o calote, e depois de adquirir o bem, renunciar a pagar o que lhe é devido, sem dúvida falta com a justiça, pois mais do que uma dificuldade momentânea, opta por pecar ao negar o justo pagamento, tendo a possibilidade para tal. O furto geralmente trata-se de uma apropriação indevida e feita secretamente, o que não se trata do caso, que se configura mais como uma espécie de roubo, visto que o objeto foi apropriado com o conhecimento das duas partes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s