Educação intelectual e moral

Consiste na formação das duas faculdades mais nobres da creatura humana: a inteligência e a vontade, por meio da instrução e da educação propriamente dita:

a) Instrução. – É da máxima importância o cultivo do espírito. Antes, porém, de encaminhar os filhos neste ou naquele ramo, os seus mentores hão de levar em conta, os gostos e as aptidões dos pequenos. Do contrário, teriam, mais tarde, de curtir amargas decepções cruéis e irremediáveis desenganos. Devem procurar, e auxiliar os planos divinos;  logo indagar da vocação dos filhos, e favorecê-la de toda a maneira, abstraindo por completo os interesses mesquinhos, ou de estultos sonhos de megalomania.

b) Educação. – Por mais alevantado que seja, o valor da instrução, ela seria vã, balofa, e até extremamente prejudicial, si não ombreasse com ela, emparelhando, a educação. É pérola preciosa, um espírito acepilhado. Jóia de mais fino quilate, porém, a vontade reta e forte, o caráter adamantino. Consegue-se esta lapidação lenta, pela persuasão, pela autoridade, pela influência moral de todas as horas. Exige, dos pais, o cumprimento escrupuloso de dois deveres de relevância suma: vigiar e corrigir.

1. Vigilância. – Vigiar é prevenir o mal; é espantá-lo, antes que apareça; é destruí-lo no germe. Os pais, para isso, hão de remover tudo quanto pudesse ser estorvo ou tropeço, para a virtude dos filhos: más companhias, livros e jornais (e hoje em dia, bloquear sitios da rede virtual e evitar a televisão), que desrespeitam a fé ou os costumes. Hão de ensinar a eles, com paciência inexorável, os nobilíssimos princípios do dever, do sacrifício, da honra, da dominação dos ímpetos e do gênio (auto-domínio).

2. Correção. – Não bastará sempre a vigilância. Será preciso corrigir. Corrigir, quer dizer, endireitar, trazer os filhos ao rumo certo, quando se tresmalham: tarefa melindrosa, porque beira dois excessos opostos, funestos por igual: indulgência demais, ou demais severidade. De um lado, uma repreensão fraca é quasi incentivo para reincidências. De outro lado, a autoridade despótica é fonte de desgostos, dá resultados contraproducentes. Pior do que tudo, talvez, o passar de um extremo a outro, do rigor ao relaxamento: é o desmoronar rápido e fatal de toda obra. A arte de mandar está na união prudente da mansidão com a firmeza. Pouquíssimas vezes, se deixará que a coacção unicamente force à obediência os educandos. É preciso, certamente, domar e disciplinar a vontade, nunca oprimí-la.

Acima, e antes de tudo, deve ser religiosa a educação. Infelizmente, não é penhor infalível do triunfo da moral a educação religiosa. Mas a experiência secular mostra que é erro colossal, separar da religião a moral, e que a educação divorciada da religião acarreta, logicamente, o divórcio da moral.

Portanto, que os pais mandem batizar os filhos, quanto antes. Ensinem-lhes, desde o despontar das faculdades, os nomes de Jesus e Maria, as orações, os rudimentos da fé. E mandem-nos a escolas católicas DE VERDADE (coisa infelizmente praticamente inexistente: hoje há muitas escolas que de católico só possuem o passado. A quase totalidade das escolas que se dizem católicas são totalmente liberais, e a depender do caso, são mais nefastas do que os colégios laicos). Caso não seja possível, a frequentação destas escolas, impende-lhes a obrigação inelutável de suprir, por si ou por meio de catequistas, o ensino religioso que a escola leiga não ministra.

Educação religiosa: isso praticamente desapareceu!

About these ads

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Educação intelectual e moral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s