A irreligiosidade

A irreligiosidade é um desprezo que se faz a Deus, às pessoas e cousas sagradas.

Sacrilégio é a profanação do lugar, pessoa ou cousa consagrada a Deus e destinada ao seu culto.

Comunistas fuzilam imagem do Sagrado Coração de Jesus Cristo na Espanha do século XX

Tentar a Deus é dizer ou fazer algo para ver si Deus é sábio, poderoso ou dotado de qualquer outra perfeição.

Simonia é pretender comprar ou vender, por preço temporal, alguma cousa espiritual ou anexo ao espiritual.

Morte de Simão, o mago (o primeiro a comercializar as coisas de Deus, referido no Novo Testamento)

Impiedade é negar a Deus todo o culto.

As principais seitas ímpias são: o Liberalismo, a Maçonaria, o Socialismo e o Anarquismo.

Liberalismo é o sistema que toma por critério único e exclusivo de todo o ato moral, privado ou público, a razão e a vontade do homem, prescindindo de Deus.

Lema revolucionário francês, que instaurou o liberalismo pela primeira vez.

Ser liberal, outrora, significava ser generoso, magnânimo; hoje geralmente significa pertencer a uma seita condenada pela Igreja.

A maçonaria é uma sociedade que tem por fim principal fazer guerra à Igreja Católica.

O socialismo tem o mesmo fim que a maçonaria. Para enganar os operários promete-lhes a repartição de todos os bens, a igualdade social, etc.

Assassinos socialistas de diferentes matizes: na forma stalinista, maoista e nazista

O anarquismo é o sistema que proclama a destruição de todo poder e de toda autoridade, mesmo usando de violência.

O fanatismo é o furor dos sectários produzido por idéias falsas.

Fanáticos maometanos em momento de fúria

 

Quem cumpre com fidelidade as leis da Igreja, confessa e comunga a miúdo, não é fanático senão devoto. Os ignorantes e os malvados confundem a devoção com o fanatismo.

A devoção é uma virtude, o fanatismo é um vício.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para A irreligiosidade

  1. Anônimo, se eu passasse a responder cada um de seus questionamentos, certamente nada mais faria da vida. Não é por falta de argumentação, é falta de tempo. De toda forma, já iniciei uma série de postagens falando sobre o nazismo. Futuramente espero falar também sobre o liberalismo e o marxismo. E a franco-maçonaria terminará por ser respondida neste amálgama, visto que seus princípios são os mesmos princípios liberais.

  2. Nerd disse:

    Hitler? Socialista? UHAUHAUHAUHAUHAUHUAHUAHUAHUAUHUAHAUHAUAHUAHUHA NA BOAAAAAAAA SE MATAAAA!!!!!!!!!!!!

    • Obrigado pelo chilique. Era exatamente o pretexto que eu precisava para continuar as postagens sobre o nazismo, para ajudar a desmistificar a mentira que os esquerdopatas construiram.
      Em tempo: antes de se achar muito sabichão, melhor estudar ao invés de repetir. Hoje em dia pouca gente questiona as informações “oficiais”. Ninguém se pergunta quem é o tipo de gente que escreve nossa história, e se essas pessoas, pelo fato de terem um diploma são realmente buscadoras da verdade ou apenas agentes de propaganda.
      Interessante. Muita gente que se diz esclarecida rejeita a fé cristã por achar que carece de evidências. Mas essa mesma gente crê no que a mídia, os livros didáticos e os pseudo-professores comunistas do cursinho e da faculdade ensinam como se fossem dogmas.
      Como meia dúzia de ideólogos associaram o nazismo à extrema-direita, então as massas acostumadas a repetir – ao invés de refletir e se aprofundar em conhecimento – automaticamente, num ato de FÉ CEGA… Crêem. E difundem esta e outras tolices como se fossem verdades incontestáveis.
      Meu caro, leia com paciência as postagens sobre o nazismo e questione se suas leituras têm alguma abrangência ou são limitadas ao senso comum (ou seja “todo mundo sabe que Hitler era extremista de direita, logo o parecer da maioria faz a coisa ser verdadeira”).
      Não é por sua causa, mas coincidentemente seu comentário veio exatamente na hora em que eu publicaria os outros dados a respeito do nazismo.

      Em tempo: falar do nazismo para mim não é para defender a extrema-direita, que é tão falida quanto a direita, o centro, a esquerda e a extrema-esquerda. E muito menos para “limpar a barra” da Igreja. É um blog católico. Mas como os papagaios que se sentem gênios ouviram algum cretino associar o nazismo ao catolicismo, então me senti na obrigação de ressuscitar textos bem fundamentados que demonstram que, do preconceito gratuito à verdade dos fatos, muitas vezes há um grande hiato…

      Leia as postagens sobre o paganismo nazi. Vai lhe fazer bem. Ao menos lhe fará menos superficial sobre o tema.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s