Consequência do pecado mortal

O pecado mortal:

1º Afasta-nos de Deus e nos priva de seu amor e amizade.

2º Tira-nos os merecimentos e o direito ao céu.

3º Torna-nos merecedores da condenação eterna.

ATUALIZAÇÃO – 30/12/2010

(do livro Luz do Céu: Curso de Religião para o Ginásio. 1º tomo: o Credo. Edição: Livraria da Doutrina Cristã, Edições Salesianas, 1958)

Pecado Mortal

Nero, o homem que devia governar um império, foi incapaz de governar a si mesmo, porque se deixou subjugar pela paixão do jogo. Passava noites inteiras jogando dados, apostando enormes quantias. Uma noite, – não era a primeira – a fortuna não lhe sorriu: perdeu uma soma fabulosa.

Wnquanto ele dormia, sua mãe Agripina fez colocar sobre a mesa o equivalente em moedas de ouro. Ao despertar o imperador escancarou os olhos com o rebrilhar daquele monte de ouro. E Agripina lhe disse: um milhão de sestércios! Eis quanto te custou o divertimento da noite passada!

Tivesse pensado antes!

Um mal muito pior comete o cristão que cai em pecado mortal. É necessário pensar antes de cometê-lo e compreender o que ele é, e os graves prejuízos que traz consigo.

Que vem a ser?

O pecado mortal é uma desobediência à lei de Deus em coisa grave, feita com plena advertência e deliberado consentimento.

1)Coisa grave, como por exemplo injuriar o Santo Nome de Deus; maltratar os pais.

2)Plena advertência, isto é, saber o que se faz;

3)Deliberado consentimento, isto é, querer cometê-lo apesar de saber que é um mal.

Seus danos

Esse pecado é grave e se chama mortal, porque produz na alma os mesmos efeitos que a morte produz no corpo.

Os efeitos da morte podem-se reduzir a três: 1)corta a vida; 2) torna incapaz de possuir e adquirir; e 3) impõe a separação dos vivos mediante a sepultura.

O pecado mortal produz na alma consequências que bem se podem comparar às da morte. Com efeito:

1)priva a alma da graça divina que é a sua vida. Pois a alma depois de recebidos os Sacramentos possui a vida sobrenatural, ou seja a vida de Deus que nela habita. A alma em graça é filha de Deus.

Mais uma vez cometido o pecado, Deus não pode permanecer na alma: perde-se a vida divina e a alma não é mais filha, mas inimiga de Deus.

2)Priva a alma dos merecimentos e da capacidade de adquirir novos. Perdida a vida sobrenatural, a alma perde também os bens sobrenaturais, isto é, os merecimentos anteriormente adquiridos; além disso, não vivendo mais pela graça, pois ficou reduzida a um cadáver, por causa do pecado mortal, não está mais capacitada a adquirir outros. Pode um morto comer e desenvolver-se? Não; nem pode a alma em pecado acumular merecimentos. Está morta.

3)Torna a alma digna da pena eterna do inferno. Na “videira mística” de Jesus, uma alma em pecado é como um ramo seco e sem vida: não dá frutos e por isso deve ser cortado e queimado. Quem perdeu a graça não dá frutos para a vida eterna e por isso merece ficar separado da Comunhão dos Santos e juntar-se aos condenados do inferno.

Do rico esbanjador e egoísta, (Epulão) como se lê na parábola do Evangelho, disse Jesus que foi sepultado no inferno após sua morte. Por que diz “sepultado”? Porque ele estava morto para a Graça.

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s