O culto dos Santos e suas relíquias

Santa Brígida da Suécia, fundadora da ordem do Santíssimo Salvador

Os santos são os justos do céu, que praticaram a virtude em grau heróico durante sua vida mortal.

Deus confirmou a santidade de sua vida e a sua glória por meio de milagres.

Só a autoridade suprema da Igreja pode canonizar, isto é, declarar santo a um de seus filhos.

Quando morre alguma pessoa, que viveu com piedade e santidade extraordinárias, diz-se que morre em odor de santidade e chama-se Servo de Deus.

A veneração e invocação pública dos que morreram são proibidas, antes que o Papa declare sua santidade.

Mas, si estamos convencidos de que uma pessoa viveu santamente e está no céu, podemos privadamente venerá-la, honrar sua imagem e pedir sua intercessão.

Neste caso o Servo de Deus chama-se:

Venerável, quando o Papa deu o decreto aprovando todas as suas virtudes como praticadas em grau heróico;

Bem aventurado, quando o Papa dá o decreto de beatificação, declarando que o Servo de Deus está no céu;

Santo, quando o Papa o canoniza, isto é, agrega seu nome ao catálogo dos Santos.

Aos Bem-aventurados pode-se prestar culto em toda parte.

É justo e louvável venerar e invocar os Santos. Deus os cumulou de graça e de glória e são nossos protetores no céu.

A honra que tributamos aos Santos, redunda em honra do mesmo Deus.

Deus quer que honremos aos Santos; por isto, se apraz em conceder-nos graças especiais por sua intercessão.

Deus é quem concede as graças; os Santos são nossos intercessores.

A oração aos Santos, embora muito louvável e útil, não é obrigatória.

Jesus Cristo é o único mediador necessário perante seu Eterno Pai; os Santos pedem pelos merecimentos e em nome de Jesus Cristo.

O culto dos Santos é mui diverso daquele que se presta a Deus.

A Deus se presta o culto de latria, isto é, a adoração propriamente dita, como Ser Supremo e Senhor de todo o Universo.

Aos Anjos e Santos presta-se o culto de dulia, isto é, uma veneração especial como servos fidelíssimos de Deus.

A Santíssima Virgem se presta o culto de hiperdulia, isto é, uma veneração superior a de todos os Anjos e Santos, por ser Mãe de Deus.

Santa Beatriz da Silva, fundadora das concepcionistas

Convém ter devoção especial:

1º A São José, Padroeiro da Igreja Universal.

2º Aos Santos Anjos da Guarda.

3º Aos Santos Apóstolos.

4º Ao Santo do nosso nome.

5º Aos Santos Padroeiros da diocese e paróquia, e do ofício ou profissão de cada um.

O modo prático de venerar aos santos é imitar suas virtudes e pedir-lhes intercedam por nós deante de Deus.

As imagens de Jesus Cristo e dos Santos são para nos lembrar de que estão no céu e reverenciá-los em suas imagens.

Um filho venera o retrato de seu pai, um súdito o do seu rei; com maior razão podemos honrar as imagens de Jesus e dos Santos.

As honras que tributamos às imagens não são dirigidas à matéria, (tela, papel, madeira ou metal) mas sim, às pessoas, que as imagens representam.

Veneramos as relíquias dos Santos, porque seus corpos foram templos vivos do Espírito Santo e hão de ressuscitar gloriosos no fim do mundo.

Deus tem feito frequentes milagres mediante as relíquias dos Santos.

É preciosa aos olhos do Senhor a morte dos seus santos”]

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s