O Padre-nosso

Padre-nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje; e perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amen.

Um dia os apóstolos disseram a Jesus: “Mestre, ensinai-nos a orar“.

Jesus lhes respondeu: “Quando quiserdes orar, dizei: Padre-nosso, etc”.

Chama-se o Padre-nosso oração dominical, porque nos foi ensinada pelo próprio Jesus Cristo.

Por conseguinte, é a melhor das orações; e contém tudo quanto devemos pedir.

No Padre-nosso há sete petições.

Começamo-lo dizendo “Padre-nosso”.

Padre! Significa PAI. Que palavra tão consoladora, tão própria para inspirar-nos confiança!

Só porque Jesus Cristo nô-lo disse, é que nos animamos a chamar com o doce nome de Pai, Aquele que é o Ser Supremo, o Senhor do céu e da terra.

Deus é nosso Pai, porque Ele nos creou à sua imagem, nos conserva e governa com sua Providência, e pela sua graça somos seus filhos adotivos e herdeiros do céu.

Chamamos a Deus “Padre-nosso” e não “meu Pai”, porque sendo todos filhos do mesmo Pai celeste, nos devemos considerar e amar como a irmãos, e orar uns pelos outros.

Dizemos: “Que estais nos céus”, para elevar a nossa mente e nosso coração para o céu, que é o lugar onde Deus manifesta a seus filhos o esplendor da sua glória.

Primeira petição:  Santificado seja o vosso nome.

Pedimos a Deus que seu nome seja conhecido, louvado e amado por todo o mundo.

Esta é a primeira petição, porque o primeiro desejo do nosso coração deve ser o de buscar a glória de Deus, antes que os nossos interesses e proveitos.

Buscamos a glória de Deus, si procurarmos cumprir bem a sua santa lei.

Segunda petição: Venha a nós o vosso reino.

O reino de Deus é a sua graça nesta vida e a sua glória na outra.

A Igreja militante chama-se também reino de Deus; por isso, pedimos que todos os homens a conheçam e formem parte dela.

Terceira petição: Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.

Pedimos a graça de fazer sempre a vontade de Deus; e não que Deus faça a nossa.

Quarta petição: O pão nosso de cada dia nos dai hoje.

A palavra pão significa todo o necessário para a vida da alma e do corpo.

Quinta petição: E perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

A palavra dívidas significa pecados.

A palavra devedores se refere aos que nos têm ofendido.

Aqueles que não querem perdoar aos seus ofensores, rezando o Padre-nosso, se condenam a si mesmos; porque pedem a Deus que lhes perdoe, como eles perdoam ao seu próximo.

Sexta petição: E não nos deixeis cair em tentação.

Tentação é uma incitação ao pecado.

O pecado consiste, não em ter tentações, senão em consentí-las.

Deus permite que sejamos tentados:

1º Para provar nossa fidelidade.

2º Para dar-nos ocasião de aperfeiçoar nossa virtude.

3º Para que tenhamos maior mérito e melhor prêmio.

Motivo pelo qual não pedimos que sejamos livres das tentações, mas que não caiamos nelas.

Sétima petição: Mas, livrai-nos do mal.

Pedimos a Deus que nos livre do sumo mal, que é o pecado e seu castigo.

Pedimos a Deus que nos livre dos outros males, se for para o nosso bem espiritual.

Deus permite as penas desta vida, como também as tentações, para nosso bem espiritual, porque:

1º Estas penas nos fazem compreender claramente que este mundo é um desterro, um vale de lágrimas; e nos fazem desejar ardentemente o céu.

2º Estas penas nos tornam mais semelhantes a Jesus Cristo, que foi chamado o Varão das dores.

É justo que O acompanhemos no sofrimento, si quisermos participar de sua glória.

3º Estas penas sofridas com paciência, alcançam-nos grandes merecimentos para o céu. São tesouros preciosíssimos, que o Senhor nos oferece.

Si os homens conhecessem o valor destas penas, pediriam a Deus não só que lhas não tirasse, mas que lhas desse em maior número juntamente com a devida paciência para suportá-las.

Amén, no fim do Padre-nosso quer dizer: Assim seja, assim o espero.

O Padre-nosso deve rezar-se frequentemente e sem precipitação, como está no catecismo, sem mudar, acrescentar ou tirar palavras.

Depois do Padre-nosso, para louvar a Santíssima Virgem e pedir sua poderosa intercessão, costuma-se rezar a Ave Maria.

Padre-nosso em latim

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s