ARTIGO IV

Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado.

 

Jesus por onde passava, fazia o bem.

Apesar disto, tinha grandes inimigos.

Havia então, como agora, três classes de pessoas: bons, maus não obstinados no mal, e maus obstinados.

Os bons amavam a Jesus.

Os maus não obstinados ao ouvir sua palavra se convertiam.

Mas, os maus obstinados odiavam muito a Jesus e queriam dar-lhe a morte.

Em certa ocasião, os judeus tomaram pedras para atirar em Jesus; ele, porém, lhes disse:

Muitas obras boas tenho feito; por qual delas me quereis matar?

Várias vezes tentaram tirar a vida de Jesus, mas Ele desaparecia.

Chegou, porém, o momento em que Jesus permitiu que o prendessem.

Então foi açoitado, coroado de espinhos e pregado na cruz.

Pôncio Pilatos foi o juiz iníquo que lavrou a sentença de morte contra Jesus.

Ecce Homo, de Antônio Ciseri (séc XIX)

Pilatos sabia que Jesus era inocente; contudo, para comprazer aos judeus, pronunciou a mais injusta de todas as sentenças.

Jesus foi pregado na cruz ao meio-dia e morreu às três horas da tarde, numa sexta-feira de Março, antes da Páscoa.

Jesus morreu na cruz para salvar-nos.

Na morte de Jesus, escureceu-se o sol, tremeu a terra, as pedras partiram-se, e os corpos de muitos santos que estavam mortos ressuscitaram.

Jesus padeceu e morreu realmente, como homem.

Como Deus, não podia padecer nem morrer.

Jesus, do alto da cruz, nos ensinou a detestar o pecado e a sua causa.

A causa do pecado é o amor desordenado às honras, às riquezas e aos prazeres.

Não era mister que Jesus sofresse tanto para salvar-nos.

Qualquer ato de Jesus era de um valor infinito e suficiente para salvar não só o mundo inteiro, mas milhares de mundos.

Jesus quis sofrer tanto para que compreendêssemos:

1º Que grave é o pecado;

2º O amor imeno que nos tem;

3º Quanto vale a nossa alma, pois para salvá-la quis Jesus derramar todo o seu sangue e dar a sua vida no meio dos mais atrozes tormentos.

Cada um de nós deve pensar: “Jesus morreu para salvar-me! Que não devo fazer eu, para corresponder ao amor de Jesus e salvar a minha alma?

Jesus morreu para salvar a todos os homens; mas, morreu de tal modo por todos, como si tivesse morrido por um só.

Os merecimentos da Paixão e morte de Jesus Cristo não são de utilidade para todos, porque muitos não fazem o que devem para a aplicação destes merecimentos.

Diz Santo Agostinho: “Aquele que te creou sem ti, não te salvará sem ti” isto é, sem a tua cooperação.

O lugar onde morreu Jesus chama-se calvário ou Gólgota.

O corpo sagrado de Jesus, foi colocado em um sepulcro novo, aberto numa rocha.

 

A Crucifixão (Giotto), séculos XIII-XIV

Sobre Bruno Luís Santana

Ego Catolicus Romanus sum.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s